Author: joyce

Sobre

Joyce Pais

Fundadora e editora-chefe do Cinemascope. Jornalista, professora, palestrante e filmmaker paulistana. Apaixonada por David Lynch, Pedro Almodóvar, Marilyn Monroe e café.

Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios

Por Wallacy Silva e Joyce Pais Começa com uma câmera contemplativa. Depois de interagir com sua modelo, o fotógrafo Cauby (Gustavo Machado) sempre sai de quadro, para que o espectador possa enxergar com os mesmos olhos da câmera fotográfica. Não é preciso muito tempo para perceber que estamos diante de um filme diferenciado. A partir da perspectiva de Cauby, adentramos ao universo de Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios. O fotógrafo está de passagem pelo interior da Amazônia e acaba se envolvendo intensamente com Lavínia (Camila Pitanga), uma mulher misteriosa com distúrbios de personalidade. Ela é...

Ler Mais

Marçal Aquino

Entrevista e Câmera por Joyce Pais Edição por Thais Andrea O escritor e roteirista Marçal Aquino do filme Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios, comenta ao Cinemascope sobre sua parceria com Beto Brant, seus projetos passados e os planos para o próximo livro, “Como se o Mundo Fosse um Bom Lugar”, seu envolvimento nas filmagens, o gosto pela fotografia, seus diretores favoritos e muito mais! Veja o vídeo:...

Ler Mais

12 Horas

Por Joyce Pais Tenho uma tendência assumida de acreditar que qualquer filme que envolva Amanda Seyfried já começa errado na escalação de elenco, 12 horas veio para comprovar essa tese. Na estréia de Heitor Dhalia em um filme norte americano, ter uma estrela com um nome de peso no papel principal, em termos mercadológicos, poderia ser um ponto explorado positivamente caso Seyfried conseguisse, no auge dos seus 26 anos de idade e 13 de carreira, demonstrar amadurecimento e não só mais uma atuação inverossímel (vista também em Chloe – O Preço da Traição) que não se distancia muito do...

Ler Mais

Raul – O início, o fim e o meio

Por Joyce Pais Seguindo uma estrutura narrativa que muito se assemelha ao impecável Uma noite em 67 (Ricardo Calil – 2010), Raul – O início, o fim e o meio concentra seus esforços em reconstruir a trajetória profissional e pessoal de um dos ícones do rock brasileiro, Raul Seixas. E o faz de maneira sincera e respeitosa. O documentário, que levou 6 anos para ser realizado, foi habilidoso ao fugir da imagem estereotipada e pejorativa a qual comumente o cantor é associado –  a de bêbado, drogado e marginal. Se os relatos familiares serviram pra dar luz a uma...

Ler Mais