Author: guilherme

Sobre

Guilherme Franco

Uma mistura de Wes Anderson, Lars Von Trier, Coutinho e Godard. Videomaker, futuro jornalista e diretor, ama filosofar e repensar como produtos artísticos seriam de outra forma. Vegetariano e corredor, a cada dia tenta se acostumar mais com essa sociedade que vive de utopias.

Ícaro

Após assistir a Ícaro, uma das coisas que mais me chamou a atenção foi durante os créditos. O filme tem dezenas de produtores, e procurando o perfil de cada um no IMDb, todos eles têm produções originais da Netflix no currículo. E por que essa quantidade absurda de produtores? Ícaro é uma obra com uma complexidade enorme de produção, parte mostrada na tela por meio dos obstáculos do diretor. Com apenas um longa dirigido, meio que desconhecido (se chama “Jewtopia”, uma comédia romântica de 2012), Bryan Fogel busca construir no início do longa uma jornada do herói. Ele irá...

Ler Mais

Arábia

Arábia é lindo. O filme de Affonso Uchoa (A Vizinhança do Tigre) e João Dumans (co-roteirista de A Cidade onde Envelheço) traz a subjetividade de um homem, pobre, perdido e sozinho. A primeira cena é de um garoto andando de bicicleta numa estrada do lado de um penhasco. A aflição misturada a poeticidade da cena geram um sentimento peculiar, único e que representa boa parte do filme, com sua sinceridade e simplicidade. O protagonista em nenhum momento tenta se colocar como superior ou mostrar algo a mais do que é, transparente e comum. A história do operário interpretada por...

Ler Mais

A Morte do Cinema

O curta inicia com o som de uma ventania que parece distorcida e já deixa uma tensão e mistério no ar. Segue com imagens de ruínas, com fotografias em branco e preto e, rapidamente, muda para o cenário da cidade até as pessoas entrarem em cena. A tela fica escura e um alto-falante anunciando no fundo a morte de um indivíduo. No meio dessa reconstituição sensorial, somos levados a pequenos depoimentos deixando um certo medo que convertam numa decepção, quero dizer, que todo o suspense construído seja apenas a introdução de mais uma obra composta apenas por talking heads. A...

Ler Mais

Vibrato

O que mais move o ser humano: sexo, dinheiro ou poder? Em Vibrato, exibido no 28º Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, somos colocados diante uma senhora que está há seis meses em estado de luto pela morte de seu companheiro. Ao conversar com uma colega na frente do túmulo do falecido, ela relembra como era viver os momentos mais íntimos com ele. O cineasta Sébastien Laudenbach, que já ganhou o prêmio especial do júri em Annecy, o maior festival de animação do mundo, com A Menina sem Mãos, traz novamente à tona sua técnica, que se assemelha...

Ler Mais

Minha Vida de Abobrinha

Por Guilherme Franco A animação destaque em Cannes e que ganhou o prêmio do público em Annecy (um dos maiores Festivais de Animação do Mundo) traz várias histórias de crianças órfãs. Quem guia o espectador em meio a essas várias crianças e suas histórias é Abobrinha, um menino de nove anos, sem pai e com uma mãe alcoólatra. O filme é a adaptação do livro publicado em 2002: “Autobiografia de um Abobrinha”, do escritor francês Gilles Paris. Tendo sido adaptado para a TV em 2007 com o título “É melhor quando a vida é grande”, o filme voltou mais...

Ler Mais