Home / Colunas / Você conhece as religiões Jedismo, Dudeísmo, Matrixismo e Ed Wood?
Cinemascope - Religiões derivadas de filmes

Você conhece as religiões Jedismo, Dudeísmo, Matrixismo e Ed Wood?

Por Joyce Pais

O fanatismo dos cinéfilos alcança níveis inimagináveis, não é mesmo? Às vezes não basta colecionar artigos relacionados ao seu filme preferido. A necessidade de se conectar com as histórias, personagens e códigos dos filmes Matrix, O Grande Lebowski, Star Wars e o diretor Ed Wood inspirou a criação de religiões baseadas nos principais conceitos dessas obras. Ficou curioso? Então conheça melhor essas religiões, quem sabe você não considera virar mais um adepto de uma delas?

Dudeísmo

Lançado em 1998, O Grande Lebowski não é um dos filmes mais bem sucedidos dos irmãos Coen, mas com o passar dos anos ele alcançou o status de cult entre os cinéfilos.

Ninguém podia imagina que o estilo de vida e as peculiaridades de Lebowski inspiraria a criação de uma religião. Oliver Benjamin, fundador da Igreja do Último Dia Dude, a qual é descrita como “uma filosofia que prega a não-pregação, práticas tão pouco possíveis e, acima de tudo, oh…perdi minha linha de pensamento”, conta com mais de 70 mil seguidores, contabilizados através de um processo online.

Dudeísmo é uma doutrina articulada conscientemente, é mais do que uma mera gag. A religião conta com filosofias antepassadas do Taoísmo, Budismo Zen, Humanismo e Transcendentalismo Americanos e modelos individuais de vida de Heráclito, Walt Whitman e Snoopy. O movimento oferece o equivalente ao Velho Testamento, na forma de quatro livros da Duderonomia e de Tao the Ching, numa versão retrabalhada verso a verso como Dude the Ching.Acha pouco? Tem um documentário chamado The Achievers, feito pelo Eddie Chung sobre a comunidade de fãs de Lebowski.

Além da religião, há o Lebowski Fest Movement, circuito de eventos fundamentados nos sacramentos aprovados pelo Dude – boliche, fumar maconha e beber White Russians.

Saiba mais: www.dudeism.com

 

Jedismo

Inspirado pelos elementos da saga, Jedismo não tem um fundador ou uma estrutura central. Se trata de um movimento religioso baseado nas ideias filosóficas e espirituais dos Jedi, em Star Wars.

Os sites mais antigos dedicados a desenhar um conjunto de crenças dos filmes Star Wars foram o “The Jedi Religions” e o “Jediism”. Eles citam o código Jedi, contendo 21 máximas, como ponto de partida para o sistema de crenças “realmente Jedi”.

Em 2001, um censo no Reino Unido revelou que 390.000 pessoas declararam sua religião como sendo “Jedi”, o que a tornaria a quarta maior religião do Reino Unido, após o Cristianismo, Islamismo e Hinduísmo.

Em 2008, Daniel Jones, de 23 anos, fundou a “Internacional Church of Jedism”. Em 2010, um homem que se descreveu como um “seguidor Star Wars” e “Jedi Knight” foi jogado para fora de um Centro de Emprego em Southend, Essex, por se recusar a retirar o capuz, e mais tarde recebeu um pedido de desculpas. O homem disse que “O principal motivo é que eu quero usar o meu capuz e eu tenho uma religião que me permite fazer isso.”

Em 2013, a Igreja Livre da Escócia estava preocupado que o casamento proposto e Parceria Civil (Escócia) Bill ‘vai levar a de Star Wars Jedi casais que se casam “. Patrick Day-Childs, da Igreja de Jediism, e Rev Michael Kitchen, do Templo da Ordem Jedi, tanto defendeu o direito dos Jedi para realizar cerimônias de casamento.

E para quem achou que não participaríamos também, no Brasil existem algumas dessas células jediístas nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo. Elas se distinguem das demais organizações existentes, pois não baseiam se no universo de Star Wars e sim na experiência humanista de cada adepto, pautando o desenvolvimento pessoal sob uma óptica universalista, porém tentando aplicar o modelo Jedi de comportamento e estudo.

Saiba mais: www.templeofthejediorder.org

 

Matrixismo

Matrixismo é uma religião inspirada na trilogia Matrix, idealizada por um grupo anônimo no verão de 2004. Há um debate em torno da seriedade dos seguidores de Matrixism, no entanto, a religião tem recebido atenção significativa nos meios de comunicação.

Matrixism traz consigo quatro principais crenças que são descritos como “os quatro princípios de Matrixism”. Resumidamente estes são: a crença em uma profecia messiânica, uso de drogas psicodélicas como sacramento, uma percepção da realidade como multicamadas e semi-subjetiva, e de adesão aos princípios de pelo menos uma das principais religiões do mundo. O Matrixism destaca 19 de abril como um feriado, esta data marca o aniversário experimento de Albert Hofmann com LSD, feito em 1943.

O símbolo adotado para Matrixism é o símbolo kanji japonês para o “vermelho”. Este símbolo foi usado no videogame Enter the Matrix. A cor é uma referência para a pílula vermelha, o que representa uma aceitação e capacidade de ver a verdade, conforme estabelecido no início do primeiro filme Matrix.

Saiba mais: http://matrixism.org/

 

Ed Wood

Edward Davis Wood, Jr. foi um produtor e diretor de filmes de terror e ficção científica, principalmente. Seus trabalhos se destacaram pela inventividade frente aos limitados recursos técnicos e orçamentários dos quais dispunha. Muitos de vocês podem ter conhecido o cineasta por conta de um dos seus maiores fãs confessos: Tim Burton. Para quem ainda não conhece, vale muito a pena assistir o filme Ed Wood, que conta com Jhonny Depp no elenco.

Ele foi considerado por muitos críticos o “pior cineasta” de todos os tempos, apesar disso, seus filmes acabaram por manter um certo ar humorístico, contando hoje em dia com uma legião de fãs.

Em 1996, o Reverendo Steve Galindo, de Oklahoma, criou uma religião legalizada, cujo salvador oficial é Ed Wood. Originalmente criada como uma piada, The Church of Ed Wood hoje conta com mais de 3.500 seguidores batizados. Woodities, como são chamados, celebram o Woodmas no dia 10 de outubro, dia do aniversário de Wood.

Saiba mais: www.edwood.org

Sobre Joyce

Fundadora e editora do Cinemascope, jornalista, paulistana, fotógrafa, apaixonada por David Lynch, Pedro Almodóvar, Marilyn Monroe e café.
Comentários