Home / Críticas / Homem-Formiga
Cinemascope -homem-formiga 6

Homem-Formiga

Por Ana Carolina Diederichsen

Scott Lang (Paul Rudd) acaba de ser liberado da prisão. Sem ter onde ficar, é acolhido pelo antigo colega de cela, Luis (o divertidíssimo Michael Peña) que tenta convencê-lo a voltar para o mundo dos furtos. Scott, preocupado em se reconciliar com a filha pequena, tenta manter-se limpo e procura empregos tradicionais. Apesar do Mestrado em Ciências, seu passado como presidiário o impede de conseguir empregos estáveis. Entretanto, o motivo de sua prisão começa a se tornar lendário, tanto no mundo do crime, quanto fora dele. Com ares de um Robin Hood moderno, mesclado com o Wikileaks, nosso herói roubou a empresa em que trabalhava e revelou ao público as diversas ilegalidades cometidas por ela.

A capacidade de entrar em locais com segurança avançada, quase impenetráveis sem ser percebido, aliado ao caráter “ético”/social de seu roubo chamou a atenção de um magnata da indústria química. Afastado das pesquisas e reconhecido por ter desenvolvido uma partícula que revolucionaria o mundo, Dr. Hank Pym (Michael Douglas), contata Scott, de maneira não muito ortodoxa. Dr. Pym vê em Scott a possibilidade de reativar um antigo projeto que desenvolveu: uma roupa capaz e reduzir um soldado ao tamanho de uma formiga.

Sabendo dos impactos e do potencial destrutivo que essa tecnologia teria se caísse em mãos erradas, Dr. Pym se isolou, mantendo uma aparência senil. Ainda assim, seu ambicioso pupilo, Darren Cross (Corey Stoll) tenta obter a formula da Partícula Pym, responsável pela possibilidade de encolhimento. Esse é o prato cheio para o nascimento de um vilão.

De todos os últimos lançamentos da Marvel, Homem-Formiga é, sem duvida, o mais divertido. O personagem tema do filme é o que se pode chamar de um verdadeiro “fanfarrão”. Com um tom irônico, abusa da incrível arte de rir de si mesmo, e imprime uma leveza especial à temática de “Os Vingadores”. Nesse sentido, a escolha de Paul Rudd para o papel não poderia ser mais acertada, uma vez que parece ter sido feito para ele (e talvez o fato de ele ter participado do roteiro só confirme isso). Dosa bem a comédia e resgata a simplicidade dos super-heróis, sem tirar deles a credibilidade, a duras custas, conquistada pela nova fase de adaptações dos quadrinhos.

O longa fica ainda mais divertido se o espectador já acompanha todo o universo de “Os Vingadores” e os spin-offs , mas ainda que esse não seja o caso, consegue tirar boas gargalhadas do público. Um destaque vai para as formigas de diversas espécies que acompanham o herói. São ajudantes incríveis e surpreendem ao se demonstrarem tão fofas.

Aos mais saudosos, o simples fato de o filme penetrar no mesmo universo do clássico da Sessão da Tarde Querida encolhi as crianças, já vale uma visita aos cinemas. Fora isso, seguindo a ideia de satirizar a própria história, o personagem de Rudd tem uma passagem muito interessante envolvendo Os Vingadores (sem descrições para evitar spoilers). Stan Lee faz uma de suas tradicionais aparições e além da costumeira cena pós-créditos, ainda tem uma outra “pós-pós” créditos. Fique ligado!

Homem-Formiga (Ant-Man)

Ano: 2015

Diretor: Peyton Reed

Roteiro: Edgar Wright, Joe Cornish, Adam McKay

Elenco Principal:  Paul Rudd, Michael Douglas, Evangeline Lilly, Corey Stoll, Michael Peña

Gênero: Aventura, ficção

Nacionalidade: EUA

Veja o trailer:

Assista aos comentários de Bruno Bebianno, do canal Luz, Câmera, Ação:

Galeria de Fotos:

 

Por Ana Carolina Diederichsen Scott Lang (Paul Rudd) acaba de ser liberado da prisão. Sem ter onde ficar, é acolhido pelo antigo colega de cela, Luis (o divertidíssimo Michael Peña) que tenta convencê-lo a voltar para o mundo dos furtos. Scott, preocupado em se reconciliar com a filha pequena, tenta manter-se limpo e procura empregos tradicionais. Apesar do Mestrado em Ciências, seu passado como presidiário o impede de conseguir empregos estáveis. Entretanto, o motivo de sua prisão começa a se tornar lendário, tanto no mundo do crime, quanto fora dele. Com ares de um Robin Hood moderno, mesclado com o…

Avaliação geral

Avaliação geral

3,5

Sobre Ana Carolina

Radialista, apertadora de botões convicta, mas com algumas ideias na caixola. Trabalha em televisão, mas não se deixou corromper pelo lado negro da força. Gosta de Cinema, arte, bichos, pijamas e unicórnios. Adora boas historias e tem fixação pela imagem. Intensa e dramática. Dizem que é nerd, mas não perde um blockbuster por nada.
Comentários