Home / Críticas / O Juíz
Cinemascope - O Juiz

O Juíz

Por Ana Carolina Diederichsen

Hank Palmer (Robert Downey Jr.) é o típico advogado inescrupuloso e arrogante, capaz de perverter situações para se beneficiar (ou a seu cliente).  Enquanto vive uma fase difícil, após a traição de sua esposa, recebe a noticia do falecimento de sua mãe.

Depois de anos sem contato com a família, Hank  se vê forçado a voltar à pequena cidade onde foi criado para o funeral. Lá, desconfortável e meio sem jeito, se reencontra com os irmãos e o pai (Robert Duvall), o rigoroso Juiz da cidade. De imediato os problemas vêm à tona.

Existem muitas mágoas envolvidas e aos poucos os acontecimentos que levaram a elas vão se revelando. Ao tentar lidar com o passado, novas mágoas se formam. Mas aí ocorre o ponto de giro do longa: o personagem de Duvall atropela e mata um homem. Hank, o advogado da família é obrigado a ficar na cidade e defender o pai.

O melodrama familiar abre um pouco o espaço para o thiller jurídico, que apesar de não deslanchar muito, traz a sempre excêntrica (e valiosa) presença de Billy Bob Thorton. O impetuoso advogado de acusação, Thorton, cria um interessante contraponto com Downey.

A atuação de Downey confirma que ele deu totalmente a volta por cima, depois dos turbulentos anos 90. O advogado arrogante não foge muito das suas últimas atuações, sempre personagens seguros de si, mas a competência com que é feito se transmite na tela e transborda aos espectadores.  Robert Duvall também não precisa provar mais nada a ninguém, mas seu velho rabugento e frio é uma boa prova de seu talento.

Ao contrário das tendências de finais felizes e resoluções impossíveis que o cinema às vezes apresenta, “O Juiz” mostra que não importa o esforço para a conciliação, algumas feridas deixam cicatrizes permanentes. O que você pode fazer é aprender a lidar com elas, mas elas, ainda assim, estarão lá, te definindo.

A faceta jurídica do filme esvazia-se diante do drama familiar. Drama esse que é bom e competente, apesar de ligeiramente apelativo. Mas o duelo psicológico de grandes personagens levado às telas por grandes atores, como é o caso, sempre vale a pena.

Cinemascope - O Juiz posterO Juíz

Ano: 2014

Diretor: David Dobkin

Roteiro: Nick Schenk, Bill Dubuque.

Elenco Principal: Robert Downey Jr., Robert Duvall, Billy Bob Thorton, Vera Farmiga, Vincent D’Onofrio.

Gênero: Drama

Nacionalidade: EUA

 

 

 

Veja o trailer:

 

Galeria de Fotos:

Por Ana Carolina Diederichsen Hank Palmer (Robert Downey Jr.) é o típico advogado inescrupuloso e arrogante, capaz de perverter situações para se beneficiar (ou a seu cliente).  Enquanto vive uma fase difícil, após a traição de sua esposa, recebe a noticia do falecimento de sua mãe. Depois de anos sem contato com a família, Hank  se vê forçado a voltar à pequena cidade onde foi criado para o funeral. Lá, desconfortável e meio sem jeito, se reencontra com os irmãos e o pai (Robert Duvall), o rigoroso Juiz da cidade. De imediato os problemas vêm à tona. Existem muitas mágoas…

Avaliação geral

Avaliação Geral

3,5

Sobre Ana Carolina

Radialista, apertadora de botões convicta, mas com algumas ideias na caixola. Trabalha em televisão, mas não se deixou corromper pelo lado negro da força. Gosta de Cinema, arte, bichos, pijamas e unicórnios. Adora boas historias e tem fixação pela imagem. Intensa e dramática. Dizem que é nerd, mas não perde um blockbuster por nada.
Comentários