Home / Críticas / Thor
post thor

Thor

Por Ana LucinskiThor não passa de um playboy prepotente, mimado e arrogante, com um irmão problemático e vingativo. Assim que Thor, personagem de 1962 é lançado aos cinemas. Quando fiquei sabendo do lançamento achei estranho a escolha de um herói pouco conhecido, mas depois de entender como a Marvel planejou meticulosamente o futuro lançamento dos Vingadores, entendi a escolha. O uso da mitologia nórdica e como a Marvel conseguiu envolver o enredo ao seu universo sempre foram os motivos para eu adorar Thor.

Thor, (Chris Hemsworth) filho de Odin (Anthony Hopkins), estava prestes a receber o trono de seu pai quando Asgard é atacada por um pequeno grupo de antigos inimigos de Odin. Irritado, ele decide vingar-se, desobedecendo ordens expressas de seu pai e com isso, inicia uma nova guerra com esses inimigos. Decepcionado com a atitude do filho, Odin o bane para a Terra, e manda seu martelo, porém, Thor só poderá empunhá-lo quando for digno novamente. Na Terra, Thor conhece Jane (Natalie Portman), uma cientista um pouco atrapalhada; ele se apega aos humanos e se apaixona por ela. Enquanto isso, seu irmão Loki (Tom Hiddleston) planeja assumir o trono de Asgard e destruir o mundo inimigo. Os amigos de Thor percebem que algo está errado e decidem ir atrás dele para que consiga salvar Asgard, Odin e a Terra.

Como de costume nas trajetórias dos heróis, Thor tem um conflito, um obstáculo que precisa passar para entender o significado de sua verdadeira missão, um inimigo com o qual sempre irá lutar e um amor a proteger. Não basta apenas o filme ser fiel aos quadrinhos, pois nem todos os espectadores serão os fãs que leram páginas e mais páginas das histórias de Thor. É importante que seja possível entender a trama e conhecer o personagem sem ter nunca aberto uma única revistinha ou lido um livro de mitologia nórdica para entender a referência. Esse é o ponto forte do roteiro, apesar da narrativa, por vezes, possui um ritmo veloz, que passa um pouco do ponto.Temos também uma breve aparição de Clint Barton ou Gavião Arqueiro (Jeremy Renner), um dos futuros vingadores.

Os cenários estão deslumbrantes e fiquei muito feliz ao ver que a ponte do arco iris não é ridícula, convenhamos, existia chances de ser um desastre total só pelo nome. Asgard ficou realmente impressionante! Os efeitos especiais também se destacaram, mas achei que a ´transformação´ de Thor (quando a armadura some e depois volta camada por camada) focada só nos braços ficou um pouco pobre, parece a mesma cena voltando para traz ou acelerando o filme.

A Marvel caprichou ao tramar essa teia em seus filmes, reconhecer os personagens de outros filmes e perceber como tudo está interligado é fantástico. Como em todos os filmes da Marvel, mais uma vez Stan Lee faz a sua aparição rotineira a la Hitchcock.

Observação: Apesar de Thor ter sido lançado antes da estreia do Cinemascope, achamos relevante postar uma crítica do filme, para que fosse possível um maior entendimento sobre a construção do filme Os Vingadores.

 

Cinemascope---Thor-PosterThor

Ano: 2011.

Diretor: Kenneth Branagh.

Roteiro: Ashley Edward Miller, Zack Stentz, Don Payne.

Elenco Principal: Chris Hemsworth, Natalie Portman, Anthony Hopkins.

Gênero: Aventura.

Nacionalidade: EUA.

 

 

 

Veja o trailer:
[youtube]fBei9aNqK9k[/youtube]

Galeria de Fotos:

 

Por Ana LucinskiThor não passa de um playboy prepotente, mimado e arrogante, com um irmão problemático e vingativo. Assim que Thor, personagem de 1962 é lançado aos cinemas. Quando fiquei sabendo do lançamento achei estranho a escolha de um herói pouco conhecido, mas depois de entender como a Marvel planejou meticulosamente o futuro lançamento dos Vingadores, entendi a escolha. O uso da mitologia nórdica e como a Marvel conseguiu envolver o enredo ao seu universo sempre foram os motivos para eu adorar Thor. Thor, (Chris Hemsworth) filho de Odin (Anthony Hopkins), estava prestes a receber o trono de seu pai…

Avaliação geral

Avaliação geral

4

Sobre Ana Paula

Designer paulistana, nerd, aficionada por filmes de ficção, ação e aventura, apaixonada pela tríade Tim Burton, Johnny Deep e Helena Bonham Carter e pela saga Star Wars, viciada em café, ursinhos de gelatina e temaki.
Comentários