Home / Críticas / Vou rifar meu coração
post copy

Vou rifar meu coração

Por Magno Martins

Após percorrer diversos circuitos de cinema pelo país, Vou Rifar Meu Coração, dirigido pela documentarista e diretora de TV, Ana Rieper (Na Veia do Rio, 2002), estreia hoje nos cinemas brasileiros. O documentário trata da relação da música brega com as trajetórias pessoais de muitos dos brasileiros, que identificam suas histórias de amor e desilusões em produções do gênero.

O título do filme foi inspirado na música de Lindomar Castilho (Vou Rifar Meu Coração) que, partindo dessa premissa, convidou grandes artistas da música brega brasileira para contribuir, com suas histórias e opiniões, na produção deste bem realizado filme. Nelson Ned, Amado Batista, Agnaldo Timóteo, Waldik Soriano, Wando, entre outros, compartilham verdadeiras crônicas dos dramas de casais que buscam em suas canções uma forma sincera de expressar seus sentimentos.

O trabalho de Rieper vai muito além do que um simples relato da música brega. Uma parte da cultura brasileira, que muitos desconhecem, se destaca de forma surpreendente. Vou Rifar Meu Coração é, ao mesmo tempo, triste e divertido. Cada história exposta na tela tem sua intensidade preservada; a fotografia impecável se concentra em buscar cenários reais e distintos para cada um dos depoimentos, que retratam sentimentos como o amor, desilusão, paixão, solidão. Outro destaque  é a trilha sonora muito bem selecionada, com grandes clássicos do gênero musical, que servem de pano de fundo para vivências pessoais de homens, mulheres, gays e travesti. Rieper é corajosa ao enfrentar tabus e personagens públicas polêmicas, como por exemplo, o fato de Lindomar Castilho ter sido preso por assassinar sua mulher (a cantora Eliane de Grammont), por motivos relacionados a ciúmes.

O filme se propõe, essencialmente,  a mostrar a influência e importância da música brega na vida de milhares de pessoas, indo contra um preconceito criado em torno do estilo. Inspirada por Casa Grande & Senzala de Gilberto Freira, Ana Rieper buscou referências (além de cineasta, ela é antropóloga) que vão além,  que mostram as origens de um Brasil que ao mesmo é fragmentado, multicultural e portador de riqueza simbólica ímpar – seja ela considerada brega ou não.

 

Cinemascope---Vou-Rifar-Meu-Coração-PosterVou rifar meu coração 

Ano: 2011

Diretor: Ana Rieper.

Roteiro: Ana Rieper.

Elenco Principal: Wando, Agnaldo Timóteo, Amado Batista, Odair José, Lindomar Castilho, Nelson Ned.

Gênero: Documentário.

Nacionalidade: Brasil.

 

 

 

Veja o trailer:

[youtube]rtqECW6AOHQ[/youtube]

Galeria de Fotos:

Por Magno Martins Após percorrer diversos circuitos de cinema pelo país, Vou Rifar Meu Coração, dirigido pela documentarista e diretora de TV, Ana Rieper (Na Veia do Rio, 2002), estreia hoje nos cinemas brasileiros. O documentário trata da relação da música brega com as trajetórias pessoais de muitos dos brasileiros, que identificam suas histórias de amor e desilusões em produções do gênero. O título do filme foi inspirado na música de Lindomar Castilho (Vou Rifar Meu Coração) que, partindo dessa premissa, convidou grandes artistas da música brega brasileira para contribuir, com suas histórias e opiniões, na produção deste bem realizado…

Avaliação geral

Avaliação geral

5

Sobre Magno

Mineiro, Planner Digital e colaborador do Cinemascope para levar o melhor conteúdo para você!
Comentários
Magno Martins disse:

Olá Mirlene, tudo bom?

Assista mesmo o filme, recomendo, é muito bom mesmo!

Volte sempre ao nosso site!

Grande abraço!

Magno Martins

Mirlene disse:

Fiquei com vontade de assistir!!!
😀