Home / Críticas / A Hora Mais Escura
A Hora Mais Escura Jessica Chastain

A Hora Mais Escura

Por Wallacy Silva

Parece que Kathryn Bigelow encontrou seu “gênero”. Depois de ser a primeira mulher da história a ganhar o Oscar de melhor direção ao mostrar a rotina de soldados americanos no Oriente Médio em seu Guerra Ao Terror (ganhador de outras cinco estatuetas, incluindo a de melhor filme), ela retorna ainda mais contestada com A Hora Mais Escura, dessa vez abordando a caçada do até então inimigo número um dos Estados Unidos: Osama Bin Laden.

Maya (Jessica Chastain) é a personagem central, uma novata da CIA que chega ao Paquistão para ajudar na missão de encontrar o terrorista. O foco é no serviço de inteligência, o que envolve investigação, coleta de informações, contatos, agentes infiltrados, pistas falsas, tortura, desentendimentos de Maya com seus superiores… O ritmo do filme não é dos mais empolgantes, e quem quer ver uma ação militar tem que esperar pelo final.

O roteiro de Mark Boal é de estrutura bem simples (acompanha uma personagem que precisa superar dificuldades para atingir seu objetivo). Não cai na armadilha de fazer sensacionalismo (se não me engano o rosto de Bin Laden não aparece nenhuma vez, e a repercussão da busca na mídia é muito pouco mostrada no longa). A saga é acima de tudo pessoal. Maya é apresentada como uma killer, corajosa, fria e com forte personalidade, mas vai aos poucos revelando outros tons de seu aspecto emocional. O caso de proporções mundiais, que diz respeito ao orgulho dos americanos, em A Hora Mais Escura é o que coloca em cheque a honra da protagonista, que se cobra demais, principalmente porque ela perde companheiros durante a missão (alguns desistentes, outros mortos).

Difícil é justificar a duração do filme, que tem um segundo ato inchado pela série de dificuldades impostas à Maya e pelas cenas de tortura que mais parecem querer chamar a atenção do que ajudar no desenvolvimento da história. Nem mesmo a boa atuação da Chastain salva o filme de ser apenas razoável. O “gênero” de Bigelow não é política ou guerra, mas é se aproveitar de temas “quentes” para alcançar visibilidade, o que acaba supervalorizando seus trabalhos. Tiro o chapéu para quem aborda a contemporaneidade no cinema, mas isso não faz com que um filme seja excepcional.

 

A Hora mais Escura (1)A hora mais escura (Zero Dark Thirty)

Ano: 2012

Diretor: Kathryn Bigelow.

Roteiro: Mark Boal.

Elenco Principal: Jessica Chastain, Mark Strong, Jason Clarke, Kyle Chandler, Joel Edgerton, Edgar Ramirez, Jennifer Ehle.

Gênero: Ação.

Nacionalidade: EUA.

 

 

Veja o trailer:

Galeria de Fotos:

Por Wallacy Silva Parece que Kathryn Bigelow encontrou seu “gênero”. Depois de ser a primeira mulher da história a ganhar o Oscar de melhor direção ao mostrar a rotina de soldados americanos no Oriente Médio em seu Guerra Ao Terror (ganhador de outras cinco estatuetas, incluindo a de melhor filme), ela retorna ainda mais contestada com A Hora Mais Escura, dessa vez abordando a caçada do até então inimigo número um dos Estados Unidos: Osama Bin Laden. Maya (Jessica Chastain) é a personagem central, uma novata da CIA que chega ao Paquistão para ajudar na missão de encontrar o terrorista.…

Avaliação geral

Avaliação geral

3

Sobre Wallacy

Letrista, paulistano, adora música, livros, futebol, redes sociais, idiomas, conversas, novidades, detalhes, interpretações e, obviamente, cinema! @wallacy13
Comentários