Home / Críticas / Bistrô Romantique
bistro romantique destaque

Bistrô Romantique

Por Luciana Ramos

Bistrô Romantique utiliza inteligentemente o pretexto do dia dos namorados para discorrer sobre os vários estágios de um relacionamento romântico. O nervosismo do primeiro encontro, o encantamento do começo de um namoro, paixão, esvaziamento do romance, término e perda se misturam em uma interessante teia de dramas e alegrias individuais.

Ângelo (Axel Daeseleire) e Pascaline (Sara de Roo) comandam o estabelecimento herdado do pai e dividem o andar de cima com a filha dele, Emma (Zoë Thielemans). Decididos a fazerem do Bistrô Romantique um sucesso, aproveitam a data comemorativa para realizar uma noite só para casais com um menu exclusivo. No entanto, Frank (Koen De Bouw), antigo namorado dela, reaparece após 23 anos e põe em risco a harmonia entre os irmãos.

Entre os clientes da noite mais romântica do ano estão Walter (Mathijs F Scheepers), um homem cheio de fobias que aguarda uma mulher que conheceu pela internet; Roos (Barbara Sarafian) e Paul (Filip Peeters), um casal que atingiu um estágio de absoluta estagnação após mais de uma década juntos e Mia (Ruth Becquart), ainda fragilizada por um término.

O filme, apresentado da abertura ao fechamento do bistrô, aprofunda os dilemas de cada personagem conforme o cardápio avança, com direito a cenas que acompanham o preparo de cada prato. As histórias são propositalmente intercaladas e enriquecem a discussão do tema pela contraposição de experiências. Assim, logo após vermos Roos pôr seu casamento em perigo, um jovem rapaz dá uma calcinha de presente a sua namorada, Pascaline discute com o irmão sobre a possibilidade de reatar com Frank e assim mudar significativamente o rumo da sua vida, Mia despeja suas mágoas para Lesley (Wouter Hendrickx), o garçom e Walter trava uma conversa consigo mesmo diante do espelho na tentativa de criar coragem para falar com sua pretendente.

Igualmente dinâmica é a concepção visual do longa, que perpassa por uma direção precisa e bem planejada. A intercalação de movimentos de câmera extensos e planos estáticos fechados contextualizam os personagens no ambiente, concedendo um ar mais realista ao longa, ao mesmo tempo que condicionam o olhar do público para o mais importante de cada ação dramática, tornando-o assim testemunha de tudo que ocorre durante a noite. Da mesma forma, iluminação e trilha sonora melódica ajudam a reforçar a atmosfera romântica do filme.

Dividido em capítulos que carregam nos títulos os nomes dos pratos, Bistrô Romantique expõe de forma dinâmica e inteligente as diferentes facetas do amor, ainda que padeça de um final excessivamente previsível. Ideal para conquistar adoradores da gastronomia e da sétima arte, além dos românticos de plantão.

 

bistro romantique posterBistrô Romantique (Brasserie Romantiek)

Ano: 2012

Diretor: Joël Vanhoebrouck

Roteiro:Jean-Claude Van Rijckeghem, Pat van Beirs

Elenco Principal:Barbara Sarafian, Filip Peeters, Koen De Bouw

Gênero: comédia, drama, romance

Nacionalidade: Bélgica

 

 

 

 

 

Confira o trailer:

Galeria de Fotos:

 

Por Luciana Ramos Bistrô Romantique utiliza inteligentemente o pretexto do dia dos namorados para discorrer sobre os vários estágios de um relacionamento romântico. O nervosismo do primeiro encontro, o encantamento do começo de um namoro, paixão, esvaziamento do romance, término e perda se misturam em uma interessante teia de dramas e alegrias individuais. Ângelo (Axel Daeseleire) e Pascaline (Sara de Roo) comandam o estabelecimento herdado do pai e dividem o andar de cima com a filha dele, Emma (Zoë Thielemans). Decididos a fazerem do Bistrô Romantique um sucesso, aproveitam a data comemorativa para realizar uma noite só para casais com…

Avaliação geral

Avaliação Geral

4

Sobre Luciana

Natural de Salvador, cresceu gravando filmes incríveis dos anos 80 e 90 em fitas VHS. É fã de cinema clássico e filmes noir, mas sabe apreciar uma boa comédia. Admira qualquer expressão artística que desperte os sentidos e estimule a mente. O cinema é, para ela, a arte mais completa por ser diversão, abstração, imersão, catarse, reflexão, expressão política e social, tudo junto e misturado. Atualmente mora em São Paulo e é formada em Cinema pela FAAP e Administração pela Universidade Mackenzie. Entre seus diretores favoritos estão Billy Wilder, Woody Allen, Alfred Hitchcock e John Hughes.
Comentários