Home / Críticas / S.O.S – Mulheres ao Mar
S.O.S - Mulheres ao Mar

S.O.S – Mulheres ao Mar

Por Verônica Petrelli

Já estamos acostumados a ver Giovanna Antonelli e Reynaldo Gianecchini fazendo par romântico nas telonas e nas novelas da TV Globo. Começando pelo filme Avassaladoras (2002), um sucesso à época, passando pelas novelas Da Cor do Pecado e Sete Pecados e, atualmente, a novela das oito Em Família, de Manoel Carlos. E o envolvimento da diretora Cris D’Amato com os dois atores não é de hoje. Seria tipo o Tim Burton escalando constantemente a Helena Bonham Carter e o Johnny Depp para os seus filmes. Mas mesmo sem o ineditismo do casal romântico, Gianecchini e principalmente Giovanna Antonelli conseguem se superar em S.O.S – Mulheres ao Mar.

O longa conta a história de Adriana (Giovanna Antonelli), uma mulher de meia-idade extremamente bonita que após 10 anos de casada tomou um pé na bunda do marido, Eduardo, famoso arquiteto interpretado por Marcelo Airoldi. Logo depois de terminar com Adriana, Eduardo decide embarcar em um cruzeiro com sua nova namorada, a renomada artista e modelo Beatriz (Emanuelle Araújo). Mesmo se mostrando uma mulher divertida, autêntica, espontânea e despachada, Adriana deixa a sua independência e orgulho próprio de lado para correr atrás do ex-marido no navio e tentar reconquistá-lo, rebaixando-se a situações constrangedoras durante o percurso. É bacana enxergar na personagem de Giovanna Antonelli essa faceta dupla de muitas figuras femininas: madura, interessante e destemida e, ao mesmo tempo, frágil e insegura quando o assunto é relacionamento amoroso.

Eis que no cruzeiro MSC Orchestra (a propaganda é escrachada, pode apostar!) Adriana tromba várias vezes com André (Gianecchini), um homem super atraente que ela julga ser gay (e depois descobre que não é). As circunstâncias e coincidências vão fazendo com que os dois se reencontrem constantemente no navio até que… bem, acho que o final vocês já sabem!

Destaque para as atuações de Fabiula Nascimento e Thalita Carauta, a irmã e a empregada da personagem principal, respectivamente. Com as duas o filme tem direito a beijo gay e tudo! A espontaneidade de ambas em cena é brilhante, principalmente de Thalita, que interpreta Dialinda. Os que estão acostumados a ver a atriz como a desgrenhada Janete de Zorra Total se impressionarão com sua presença em S.O.S – Mulheres ao Mar. O trio Giovanna-Fabiula-Thalita garante boas risadas ao público, um humor escrachado e gostoso. É realmente prazeroso de assistir, super engraçado!

Um ponto alto do longa, sem dúvida, são as locações. Paisagens maravilhosas na Itália trazem todo o charme e encanto à história. Apresentar Roma e Veneza como pano de fundo foi um desafio para a diretora Cris D’Amato. Os horários de gravação eram bastante limitados, o Coliseu só podia ser filmado de determinados ângulos, a fiscalização era bastante rigorosa… Mesmo com todos esses agravantes, a fotografia do filme ficou muito bacana.

A mensagem ao final do filme é bem bonitinha! “A vida em si já é um milagre. Mas nem sempre ele aparece da maneira como nós imaginamos”, já dizia uma senhorinha frequentadora do cruzeiro, interpretada por Theresa Amayo. Nos faz pensar em como nossos planos podem sair até melhor do que havíamos arquitetado anteriormente. É o caso de Adriana. Fofura pura!

S.O.S - Mulheres ao Mar

S.O.S – Mulheres ao Mar

Ano: 2014

Diretor: Cris D’Amato

Elenco Principal: Giovanna Antonelli, Reynaldo Gianecchini, Fabíula Nascimento, Thalita Carauta, Marcelo Airoldi, Emanuelle Araújo

Gênero: Comédia romântica

Nacionalidade: Brasil

 

 

 

 

 

Veja o trailer:

Galeria de Fotos:

Por Verônica Petrelli Já estamos acostumados a ver Giovanna Antonelli e Reynaldo Gianecchini fazendo par romântico nas telonas e nas novelas da TV Globo. Começando pelo filme Avassaladoras (2002), um sucesso à época, passando pelas novelas Da Cor do Pecado e Sete Pecados e, atualmente, a novela das oito Em Família, de Manoel Carlos. E o envolvimento da diretora Cris D'Amato com os dois atores não é de hoje. Seria tipo o Tim Burton escalando constantemente a Helena Bonham Carter e o Johnny Depp para os seus filmes. Mas mesmo sem o ineditismo do casal romântico, Gianecchini e principalmente Giovanna…

Avaliação geral

Avaliação Geral

3,5

Sobre Verônica

Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, especializada em assessoria de imprensa e mídias sociais. É simplesmente fissurada por Harry Potter e busca referências sobre a saga constantemente.
Comentários