Home / Colunas / #5+1 / Irmãos Diretores
Ethan Coen, Joel Coen

Irmãos Diretores

Por Joyce Pais

Se os primórdios da sétima arte estão intimamente ligados à genialidade de dois irmãos (Lumière), porque não falar de outros irmãos que também trabalham juntos, dividindo uma paixão em comum, o cinema? Nesse post, vocês verão uma variedade de estilos, referências e nacionalidades. Espero que gostem e se tiverem alguma dupla que não mencionei, fiquem à vontade para comentar.

Coen

ENTER MOVIE-OSCARS 164 OC

Joel David Coen e Ethan Jesse Coen, mais conhecidos como Irmãos Coen, são queridinhos do público cinéfilo. A dupla se consagrou com filmes como Fargo (1996), O Grande Lebowski (1998), O Homem que Não Estava Lá (2001) e o premiadíssimo Onde os Fracos Não Tem Vez (2007). A dupla é conhecida também por ser responsável de grande parte do processo de confecção de filme – eles escrevem, produzem, editam e dirigem – e ás vezes compartilham o crédito de edição com o pseudônimo Roderick Jaynes.

O gosto pelo cinema veio da infância. Quando garotos, Joel comprou uma câmera Super-8, com o dinheiro que economizou cortando gramas, e juntos eles refaziam filmes que assistiam na televisão, com seu vizinho Mark Zimering como protagonista.

Ambos se formaram em St.Louis Park, Minnesota, em 1973 e 1976 e também em Simon’s Rock College of Bard, em Massachusetts. Joel esteve no programa universitário de Nova York, onde realizou um curioso filme chamado Soundings. No filme, uma mulher fazia sexo com seu namorado surdo enquanto fantasiava, verbalmente, ter sexo com o melhor amigo dele, que a ouvia no cômodo ao lado.

Enquanto Ethan foi para Universidade de Princeton e conseguiu uma graduação em filosofia em 1979, Joel, após de formar em NY, trabalhou como assistente de produção em produtoras de filmes e videoclipes, tendo, inclusive, trabalhado com o diretor Sam Raimu, como assistente do filme The Evil Dead (1981).

Apesar de amado por muita gente, e até pela crítica, o último filme dos Coen, Inside Llewyn Davis – Balada de Um Homem Comum, passou meio batido por premiações como Oscar e Globo de Ouro este ano.

Dentre os principais prêmios ganhos pela dupla estão: Oscar de Melhor Diretor, Melhor filme e melhor roteiro adaptado por Onde os Fracos Não Têm Vez (2007); Oscar de Melhor Argumento/Roteiro Original, por Fargo (1996); três vezes o prêmio de Melhor Realizador/Diretor no Festival de Cannes, por Barton Fink (1991), Fargo (1996) e O Homem Que Não Estava Lá (2001) e o Grande Prémio do Júri, no Sundance Film Festival, por Blood Simple (1984).

Taviani

Cinemascope - Irmãos Taviani

Nascidos em San Miniato, Vittorio e Paolo Taviani são dois irmãos italianos cineastas, cuja filmografia se apoia em obras politizadas, influenciadas por Roberto Rossellini.

Vittorio estou direito na Universidade de Pisa e Paolo, Belas Artes, na mesma instituição. O interesse dos Taviani pelo cinema se deu após assistirem Paisà, de Rosellini, tamanho o impacto que o filme causou neles.

O processo de trabalho da dupla consiste em cada um dirigir uma cena, sendo observado pelo outro, mas sem fazer nenhuma interferência. A família Taviani tem mais um cineasta, Franco Brogi Taviani, irmão caçula de Vittorio e Paolo.

A dupla foi membro do júri do Festival de Cinema de Veneza em 1984 e o filme mais recente lançado no Brasil foi César Deve Morrer (2012). Quer conhecer mais sobre esses irmãos? Dê um clique e saiba o que rolou no bate papo em que tivemos com eles.

Farrelly

> SiriusXM Studio on April 11, 2012 in New York City.

Impossível nunca ter assistido e dado umas boas risadas nas milhões de vezes em que Quem Vai Ficar com Mary? (1998) passou no Tela Quente ou Débi & Lóide: Dois Idiotas em Apuros (1994) na Sessão da Tarde. Estou errada?

Muitos podem não saber, mas as mentes por trás de filmes conhecidíssimos de comédia são as dos irmãos Farelly. Eu, Eu Mesmo & Irene (2000), estrelado por Jim Carrey, Ligado em Você (2003), com Matt Damon, Amor em Jogo (2005), com Drew Barrymore e Passe Livre (2011), com Owen Wilson, fazem parte da filmografia desses irmãos.

E quem disse que filme de comédia também não ganhareconhecimento? Quem Vai Ficar com Mary? (1998), estrelado por Cameron Diaz, Ben Stiller, Matt Dillon,foi escolhido pelo American Institute Film o 27º melhor filme de comédia.

Weitz

Cinemascope - Irmãos Weitz

A dupla de americanos, nascidos em Nova York, já dirigiu alguns filmes, mas talvez os mais conhecidos sejam American Pie: A Primeira Vez é Inesquecível (1999) e Um Grande Garoto (2002), que é um dos filmes preferido de Stephenie Meyer, autora da “saga crepúsculo”.

Uma curiosidade é que o papel de protagonista de O Grande Garoto foi originalmente oferecido a Brad Pitt, que o recusou, e acabou ficando com o ator inglês Hugh Grant.

Ao contrário dos outros irmãos citados aqui, os Weitz já dirigiram filmes sozinhos, os destaques ficam para Em Boa Compania (2004), Tudo Pela Fama (2006) e Cirque Du Freak: O Aprendiz de Vampiro, dirigidos por Paul Weitz, e A Bússula de Ouro (2007), A Saga Crepúsculo: Lua Nova (2009) e Uma Vida Melhor (2011), dirigidos por Chris Weitz. Este último rendeu a Demian Bichir uma indicação ao Oscar de Melhor Ator.

Wachowski

Cinemascope - Wachowski

Impossível falar de ficção científica sem mencionar os irmãos Wachowski. A dupla formada por Andy e Lana (anteriormente conhecido por Larry) deixaram sua marca na história do cinema com a trilogia “Matrix”, composta pelos filmes: Matrix (1999), Matrix Reloaded (2003), Matrix Revolution (2003).

Cineastas, produtores e roteiristas, os Wachowski têm também no currículo filmes como A Viagem (2013), Speed Racer (2008) e V de Vingança (2006). Conhecidos por filmes que desafiam a lógica e abrem possibilidades baseadas em cenários distópicos.

O mais novo longa da dupla é O Destino de Júpiter, protagonizado por Mila Kunis e Channing Tatum, que teve a estreia adiada para 2015. Foi anunciado há pouco tempo que eles farão um debut na televisão em uma série do Netflix chamada Sense8, cuja trama foca em oito pessoas ao redor do mundo que compartilham uma violente visão telepática.

Há ainda a possibilidade, anunciada pelo Latino Review, de que eles poderiam criar uma nova trilogia. Uma das ideias teria relação com o surgimento da Matriz, porém não há nenhuma confirmação oficial por parte dos diretores.

Irmãos além dos clichês…

Dardenne

Cinemascope - Irmãos Dardenne

Quem é fã do Festival de Cannes (assim como eu sou) com certeza conhece o trabalho dos irmãos belgas Jean-Pierre e Luc Dardenne. Laureados duas vezes com a Palma de Ouro pelos filmes Rosetta (1999) e A Criança (2005), e Melhor Roteiro por O Silêncio de Lorna (2008), os dois são queridinhos do público e da crítica.

A dupla, que soma apenas sete filmes, segue alguns ‘padrões’ em suas criações: o uso de câmera na mão, atores desconhecidos, personagens com conflitos internos e, principalmente, a forte crítica social. Muito provavelmente o longa mais conhecido aqui no Brasil seja O Garoto da Bicicleta (2011).

Apesar da origem humilde, Jean estudou Teatro e Luc, Filosofia, em Bruxelas. Na década de19 70 eles iniciaram a carreira fazendo documentários políticos que retratavam a greve e movimentos operários.

O filme mais recente dos Dardenne, ainda sem data de lançamento prevista, Deux jours, une nuit (Dois dias, uma noite), conta com a Oscarizada e diva francesa Marion Cotillard no elenco, dando vida a Sandra, uma operária do subúrbio de Liege que tem um fim de semana para bater de porta em porta e suplicar a cada um de seus colegas de trabalho que abram mão de um bônus de mil euros para que ela consiga manter o emprego. O filme arrebatou elogios por onde passou, por Cannes também, é claro, e mal posso esperar para conferir assim que chegar ao Brasil.

Sobre Joyce

Fundadora e editora do Cinemascope, jornalista, paulistana, fotógrafa, apaixonada por David Lynch, Pedro Almodóvar, Marilyn Monroe e café.
Comentários