Home / Críticas / Amantes Eternos
Cinemascope-Amantes-Eternos (5)

Amantes Eternos

Por Aline Fernanda

O novo filme de Jim Jarmusch (Flores Partidas) é uma nova história do monstro mais famoso do cinema, o vampiro, mas diferente da grande maioria, o longa não mostra brigas entre “raças” (normalmente entre lobisomens e vampiros) e nem a caçada por sangue. Amantes Eternos gira em torno da relação de Eve e Adam, amantes que conseguiram sobreviver à passagem dos séculos (o amor deles é de antes de 1800) e como a cultura e a ciência aproxima esse casal e pode fazer com que as pessoas evoluam.

O filme conta a história de amor entre dois vampiros eruditos, Eve (Tilda Swinton) e Adam (Tom Hiddleston), cansados da sociedade atual e profundamente incomodados com a evolução da humanidade. Há séculos eles vivem uma relação de cumplicidade e muito amor, que será abalada pela aproximação da irresponsável irmã caçula da vampira, Ava (Mia Wasikowska).

A relação dos amantes parece que foi aperfeiçoada com o tempo, o bonito e o envolvente do relacionamento dos dois é que eles se aceitam cada um com sua diferença, eles se aceitam e se ajudam. A paixão que os une é maior do que a carnal e está relacionada às artes e a cultura. Ele, um músico apaixonado por instrumentos raros, e ela, apaixonada por obras literárias.

Uma das coisas faladas no filme é que em pleno século XXVI algumas coisas já deveriam ter sido superadas, como por exemplo, eles superaram a necessidade de matar pessoas para conseguir se alimentar (compram seu alimento em bancos de sangue), mas, ainda, as pessoas não estão preparadas para os pensadores e as tecnologias que surgiram e acabam perdendo coisas grandiosas por conta dessa ignorância. Uma das falas do Adam é “Eles ainda reclamam de Darwin. Ainda!”.

O ritmo da história muda com a chegada de Ava, que simboliza a decadência cultural das últimas décadas, ela é o oposto do casal e chega a falar que eles são esnobes. Ava parece com os zumbis (como chamam os humanos), ela é imediatista e não respeita algumas regras de convivência entre vampiros, como só entrar quando convidado, entre outras.

O filme de Jarmusch é sensorial, dá para aproveitar a incrível trilha sonora, a direção de fotografia, que nos permite viver o mundo confuso e escuro dos vampiros, e dá para se deliciar com ótimas atuações.

Tilda Swinton prova mais uma vez que é uma atriz incrível, Tom Hiddleston, que eu só conheci em Os Vingadores, mostra que é um ator muito versátil. Mia Wasikowska, apesar de sua pequena aparição, mostra que cresceu e que tem muito ainda o que mostrar.

Amantes Eternos nos dá uma nova possibilidade para os amantes das criaturas noturnas, sem matança e ação excessiva, é uma obra para admirar e se envolver.

Cinemascope-Amantes-Eternos (7)Amantes Eternos (Only lover left alive)

Ano: 2013

Diretor: Jim Jarmusch

Roteiro: Jim Jarmusch

Elenco Principal: Tom Hiddleston, Tilda Swinton, Mia Wasikowska, John Hurt, Anton Yelchin

Gênero: Drama/Horror/Romance

Nacionalidade: Alemanha/Reino Unido/França/Chipre

Assista o Trailer:

Galeria de Fotos:

Por Aline Fernanda O novo filme de Jim Jarmusch (Flores Partidas) é uma nova história do monstro mais famoso do cinema, o vampiro, mas diferente da grande maioria, o longa não mostra brigas entre “raças” (normalmente entre lobisomens e vampiros) e nem a caçada por sangue. Amantes Eternos gira em torno da relação de Eve e Adam, amantes que conseguiram sobreviver à passagem dos séculos (o amor deles é de antes de 1800) e como a cultura e a ciência aproxima esse casal e pode fazer com que as pessoas evoluam. O filme conta a história de amor entre dois…

Avaliação geral

Avaliação Geral

4

Sobre Fernanda

Psicóloga, fotógrafa, paulistana, fã dos clássicos, suspense e animação, tem como ídolos os diretores Alfred Hitchcok e Tim Burton.
Comentários