Home / Críticas / Lion – Uma Jornada Para Casa
Lion - uma jornada para casa

Lion – Uma Jornada Para Casa

Por Juliana Mangorra

Um garoto indiano se perde de seu irmão aos cinco anos de idade e é adotado por um casal australiano. Vinte anos depois, ele resolve procurar sua família biológica através do Google Earth. Parece roteiro feito para o cinema, mas a história é real. Dirigido por Garth Davis, Lion – Uma Jornada Para Casa é baseado na autobiografia A Long Way Home. A emocionante trajetória de Sheru Brierley aborda a infância de mais de 80 mil crianças que desaparecem por ano na Índia e a dificuldade de encontrar seus familiares sem referência nenhuma.

Saroo (Sunny Pawar) vivia em Ganesh Talai – perto da cidade de Khandwa, na Índia. Um dia, sai com seu irmão Guddu (Abhishek Bharate), que ia trabalhar numa cidade próxima. Cansado, ele se deita no banco de um dos vagões da estação de Calcutá para esperar Guddu e acaba pegando no sono. Quando acorda, no dia seguinte, o trem está em movimento e ele não sabe mais onde está. Sozinho, ele passa por vários apuros até parar num orfanato, onde é adotado por um casal australiano. Aos poucos, começa a se esquecer de sua vida anterior. Aos 25 anos, ainda sem conseguir superar o que aconteceu, Saroo decide procurar sua mãe e irmãos.

O roteiro de Luke Davis divide o longa em duas partes. Na primeira, é possível acompanhar todo o percurso detalhado do menino perdido e desamparado. A atuação incrível de Sunny Pawar transmite na tela todo o sentimento do personagem e comove o público. O diretor mostra todos os obstáculos e perigos enfrentados por Saroo que aproxima as pessoas da situação, fazendo-as se apaixonar por ele. Em diversas cenas sem falas, as imagens e a trilha sonora preenchem os momentos sem diálogos e prendem a atenção do espectador.

A fotografia de Greig Fraser retrata a realidade da pobreza da Índia e a riqueza da ilha da Tasmânia que, filmadas através dos “olhos de Saroo”, revelam as suas motivações e sua solidão diante do seu caminho até chegar ao orfanato. Também exibe um contraste nos dois mundos da vida do protagonista e dá uma ideia questionável de que houve uma “virada em sua vida apesar de tudo o que lhe aconteceu”.

A fase adulta de Saroo é interpretada por Dev Patel (Quem Quer Ser Um Milionário?). Indicado a Melhor Ator Coadjuvante, o ator – tão carismático quanto Sunny – consegue passar todo o sofrimento do personagem em busca de sua família e de sua identidade. O longa é bem fiel aos fatos e contado de forma simples e cronológica, mas é pouco desenvolvido na segunda parte. A ligação de Saroo com sua mãe adotiva, Sue (Nicole Kidman) permanece igual. Kidman se destaca como a mãe amorosa e também foi indicada a Melhor Atriz Coadjuvante. No entanto, a relação difícil com seu irmão, Mantosh (Divian Ladwa), é pouco explicada no filme.

A família de Saroo aparece brevemente reunida num momento, onde uma conversa indica mais ou menos o relacionamento entre todos. O drama fica praticamente focado no Google Earth. Apesar disso, o diretor não manteve essa busca presa ao computador, conseguindo trazer as emoções de Saroo. As lembranças de sua infância, de sua mãe e seu irmão ajudam a preservar a força na história do personagem. Lion – Uma Jornada Para Casa recebeu seis indicações ao Oscar – incluindo Melhor Filme, Fotografia, Trilha Sonora e Roteiro Adaptado –, mas acabou não ganhando nenhum prêmio.

LionLion – Uma Jornada Para Casa (Lion)

Ano: 2016

Direção: Garth Davis

Roteiro: Luke Davies

Elenco Principal: Sunny Pawar, Dev Patel, Rooney Mara, Nicole Kidman, David Wenham

Gênero: Drama/ Biografia

Nacionalidade: Austrália/ Inglaterra/ EUA

Assista ao trailer:

 

Galeria de Fotos:

 

Por Juliana Mangorra Um garoto indiano se perde de seu irmão aos cinco anos de idade e é adotado por um casal australiano. Vinte anos depois, ele resolve procurar sua família biológica através do Google Earth. Parece roteiro feito para o cinema, mas a história é real. Dirigido por Garth Davis, Lion – Uma Jornada Para Casa é baseado na autobiografia A Long Way Home. A emocionante trajetória de Sheru Brierley aborda a infância de mais de 80 mil crianças que desaparecem por ano na Índia e a dificuldade de encontrar seus familiares sem referência nenhuma. Saroo (Sunny Pawar) vivia…

Avaliação geral

Avaliação Geral

3,5

Sobre Juliana

Jornalista, atriz e apaixonada pela sétima arte. Adora os filmes clássicos, mas não dispensa as novidades do mundo do cinema. Fã de Audrey Hepburn, Charles Chaplin, Pedro Almodóvar, Tim Burton e dos suspenses de Alfred Hitchcock.
Comentários