Autor: Vinícius Gonçalves

Sobre

Vinícius Gonçalves

Mestrando em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e graduado em Comunicação e Multimeios pela mesma instituição. Possui interesse em artes plásticas, audiovisuais, processos de criação e crítica de arte.

O Som ao Redor

Do aclamado cineasta pernambucano, Kleber Mendonça Filho, O Som ao Redor (2013), primeiro longa-metragem do diretor, é um retrato e um recorte hiper-realista da classe média brasileira. Centrado no cotidiano dos moradores de um bairro “pequeno-burguês” no Recife, a obra de ficção é um espelho das estruturas de dominação/desigualdade e dos conflitos sociais que atravessam a história do Brasil desde a sua descoberta. Aliás, essa é uma crítica bem delineada e recorrente nos filmes de Kleber Mendonça. Uma assinatura do diretor, que parece ter como missão escancarar as mazelas do Brasil contemporâneo. Neste contexto, tanto o polêmico Bacurau (2019) como o bem recepcionado Aquarius (2016),...

Ler Mais

História de um casamento

História de um casamento (2019), escrito e dirigido por Noah Baumbach, percorre o seu caminho rumo ao Oscar 2020. Isto porque o título, que entrou no catálogo da Netflix em 6 de dezembro, recebeu o maior número de indicações ao Globo de Ouro. De modo mais ou menos coerente, é possível traçar uma unidade estilística entre os filmes de Baumbach. Tal como em outras obras, os icônicos A Lua e a Baleia (2005) e Frances Ha (2012) e outros títulos como Os Meyerowitz: Família Não se Escolhe e Margot e o Casamento (2007), o cineasta se empenha em construir...

Ler Mais

O Silêncio

O Silêncio (1963) é o terceiro e último filme da homônima trilogia de Ingmar Bergman. Os longas anteriores foram Em Busca da Verdade (1961) e Luz de Inverno (1963). O que normalmente esperamos de uma sequência cinematográfica é um fio condutor, ora temático, ora narrativo, que teça uma teia entre as diversas obras em questão. Este deve aproximar as diferentes películas, dando continuidade e, ao mesmo tempo, adensando o discurso do diretor. Do mesmo modo que os outros dois filmes da trilogia, bem como de sua carreira em geral, o diretor retoma à problemática da condição humana, em um...

Ler Mais

1984

Publicado em 1949, o prestigiado romance de George Orwell – 1984 ganhou rápido destaque no circuito literário britânico, e mundial. Ao projetar uma sociedade ficcional, porém repleta de traços e reminiscências de nossa própria realidade, o livro permeou o imaginário social, tornando-se um clássico quando a discussão refere-se aos regimes totalitários e autoritários do século XX. Na mesma linha, o filme homônimo do diretor Michel Radford, lançado após 35 anos da publicação do livro, reitera a pertinência do assunto, demonstrando a atemporalidade dessas obras que integram e consagram o tesouro coletivo da humanidade. O filme faz jus ao livro....

Ler Mais

Fahrenheit 451

Publicado em 1953, o romance de Ray Bradbury – Fahrenheit 451 ganhou sua primeira adaptação para o cinema em 1966. O filme foi dirigido pelo icônico cineasta francês François Truffaut, um dos integrantes do movimento cinematográfico Nouvelle Vague. Este foi o único filme de ficção dirigido pelo cineasta, e o primeiro em cores e em inglês. O enredo do filme se debruça em uma investida contra a palavra escrita, seja ela literária, filosófica, etc. Em um regime autoritário, a maior heresia é a leitura. Logo no início somos apresentados ao protagonista do filme, Montag (Oskar Werner), um bombeiro responsável...

Ler Mais