R$ 124,50ou em 12 x de R$ 12,13 no cartão

Curso 100% online

Certificado digital

Material complementar

Assista quando quiser

O CURSO

O curso de Introdução ao Documentário busca ir além do senso comum e se aventurar na exploração das relações entre Cinema e Humanidades. Cada aula possui um filme chave que auxilia na decodificação de períodos históricos específicos. O curso se destina não só aos entusiastas do cinema documentário, como também a todos que queiram atuar nesse ramo do audiovisual ou mesmo compreender melhor a história dos séculos XX e XXI.

Ao longo dos módulos, o professor Fábio Monteiro realiza uma viagem cronológica desde a emergência do dispositivo cinematográfico e seus impactos no processo civilizatório, passando por disputas conceituais, técnicas e estéticas em torno da economia dos recursos fílmicos até a “guinada subjetiva” do documentarismo contemporâneo. Ao final, os estudantes terão criado um amplo repertório audiovisual, abrangendo as bases do cinema documentário, e estarão aptos a desenvolver análises cinematográficas, filosóficas e históricas sobre o ato de mostrar a realidade nas telas.

+ 7 horas de conteúdo em vídeo

+ Material de apoio (artigos e e-book exclusivo para download)

+ Certificado Digital fornecido pela Hotmart (plataforma onde o curso está hospedado)

+ Acesso a grupo de estudos exclusivo

EMENTA

MÓDULO 1 | EM BUSCA DA VERDADE NO DOCUMENTÁRIO

Aula 1: Introdução

Panorama do que será apresentado no curso, com direito a uma longa indicações de livros e filmes complementares para o aprendizado.

Aula 2: “Ato de matar”, Joshua Oppenheimer (2012) e a dificuldade do documentário

O filme como documento histórico, as barreiras ao se representar uma realidade pelas lentes do documentário e o cinema de Oppenheimer.

Aula 3: “A Era Lumière” e a emergência do real nas imagens em movimento

As distinções entre o cinema dos Lumière no chamado “Primeiro Cinema”; o paradigma da imagem e do som restituído. 

Aula 4: “Nanook, o esquimó”, Robert J. Flaherty (1922) e a observação participante

O surgimento do conceito ‘documentário’; o manejo das imagens em busca de uma noção romântica de verdade.

Aula 5: “The Drifters”, John Grierson (1928) e as finalidades sociais do documentário

O centralidade de instituições como o NFB, a MOSFILM e a BEM na composição da tarefa pedagógica e educativa do concerto das nações no século XX. 

Aula 6: “Um homem com uma câmera”, Dziga Vertov (1929) e novos paradigmas 

A ascensão dos paradigmas marxistas nas teorias cinematográficas; os textos de Vertov, Pudovkin e Eisenstein (introdução).

Aula 7: “Triunfo da Vontade”, Leni Riefenstahl (1933) e o documentário como propaganda

O documentário à sombra dos regimes totalitários, o cinema como ornamento de massa.  

Aula 8: “O caso INCE” e o cinema na refundação do Estado brasileiro

A reinvenção da nacionalidade: samba, classe operária e pavilhões nacionais através das produções do Instituto Nacional do Cinema Educativo.

Aula 9: “Five came back”, guerra, documentário e dromologia

A relevância das categorias de Paul Virilio no contemporâneo: a política como dromologia, as imagens áereas como vetor de soberania internacional; a diplomacia “amigo-inimigo” no campo do audiovisual.

MÓDULO 2 | AS VERDADES ENTRE VER E OUVIR

Aula 1: “Primary”, Robert. Drew (1960) e o estilo grau zero

O paradigma da sincronia e do mundo histórico como realidade; a invenção do cinema direto; uma história das mentalidades dos EUA pós-Guerra.

Aula 2: “Crônica de um verão”, Jean Rouch(1961) e os regimes de verdade 

A crise da imagem eurocêntrica; a ascensão do paradigma multiculturalista nos estudos de cinema; os princípios do terceiro-mundismo.

Aula 3: “Don’t look back”, D.A. Pennebaker (1965), música e comportamento no documental

O documentário como performance social da música e da pauta de comportamentos; arquivos, entrevistas e manejo sonoro como dispositivos diegéticos.

Aula 4: “Panteras Negras”, Agnès Varda (1968) e um itinerário desde a Nouvelle Vague

Imagens de denúncia, imagens de solidariedade; o transbordamento dos movimentos sociais no documentarismo.

Aula 5: “A Batalha do Chile”, Patricio. Guzmán (1975-1979), memória e história

A Guerra Fria na América Latina; as tensões entre a “via cubana” e a “via chilena”; a centralidade do ICAIC no Nuevo Cine Latinoamericano; a força da locução na construção do enredo fílmico.

Aula 6: “Shoah”, Claude Lanzmann (1985), um olhar sobre o inimaginável

A crise do referente da imago; os documentários em torno do Holocausto; as noções de testemunho a partir das contribuições de Rancière e Didi-Huberman.

MÓDULO 3 | A REVELAÇÃO DAS VERDADES DO DOCUMENTÁRIO

Aula 1: “Farenheit 11-9”, Michael Moore (2001) e a emergência do digital no político 

A vida dos anônimos, a espetacularização das imagens ordinárias; as novas plataformas do documentário.

Aula 2: “Passaporte Húngaro”, Sandra Kogut (2001) e a guinada subjetiva do documentário

Uma abordagem das novas tecnologias, das imagens mutiladas e do hiper-realismo; a distensão da relação tempo-espaço e da privacidade no neoliberalismo; os filmes de busca.

Aula 3: O “doc latino-americano”: entre a ‘Onda Rosa’ e a ascensão das novas direitas

Uma análise horizontal sobre as expressões do documentário latino-americano desde os anos 1960 até o contemporâneo. Um trânsito desde as “novas ondas” políticas até as produções que exploram tema como “pós-memória” e pautas de costumes.

Aula 4: Lucia Murat, Cultura e Memória no Documentário Brasileiro

Abordagem da hegemonia do campo progressista no documentário brasileiro e a monumentalização das memórias da luta armada. Além disso, problematiza a cultura cinematográfica a partir do conceito de “guerras culturais”.

Aula 5: “No intenso agora”, Walter Salles 2018 e a melancolia do contemporâneo

A perversão dos sujeitos em projetos; uma sociologia das emoções; políticas identitárias nos documentários contemporâneos.

MÓDULO BÔNUS

Aula 1: “Cinco câmeras quebradas”, Emad (2011), as margens do documentário

Uma exploração sobre as imagens documentais de resistência ao establishment; imagens de curtos circuitos e de revelação das fissuras da globalização.

Aula 2: “Jogo de cena”, Coutinho (2007) e o documentário da escuta

Uma abordagem pretensiosamente abrangente do cinema de Coutinho a partir dos estudos de Consuelo Lins, Milton Ohata, Carlos Nader e João Wainer.

Aula 3: Encerramento

PROFESSOR

Fábio_MendonçaApós graduar-se em História e Filosofia pela Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP Fábio Monteiro seguiu adiante os estudos transitando entre as Humanidades e o Cinema. Conheceu os grandes festivais e mostras de cinema brasileiros, cursou Especialização em Documentário pela EICTV e teve a oportunidade de monitorar oficinas de audiovisual em escolas públicas e privadas no Vale do Paraíba, interior de São Paulo, além das unidades do SESC. Hoje é doutor em História pela PUC/SP onde desenvolveu a pesquisa intitulada “Das imagens políticas à poética da imagem – História, memória e testemunho no cinema de Patricio Guzmán”, é produtor do canal Vestibular em Cena e colunista do Jornal O Vale. Atualmente, é professor do Curso de Introdução ao Cinema Documentário do Cinemascope.

Compartilhe: