Home / Críticas / A Grande Aposta
A Grande Virada

A Grande Aposta

Por Lívia Fioretti

Você fala economês? Nem eu. Na verdade, eu conheço muitas poucas pessoas que conseguem finanças com confiança – aquelas que usam todos os termos complexos e estranhos que dão frio na espinha só de ouvir, sabe? Entretanto, é fundamental entender a quantas anda a economia mundial (não apenas para não fazer feio na conversa com o chefe, mas principalmente para ter uma opinião fundamentada sobre o assunto). Entendendo isso, o diretor Adam McKay acertou em cheio criando um filme que traduza o vocabulário de Wall Street para o público geral.

A Grande Aposta conta como um grupo de pessoas previu o colapso da bolha imobiliária americana que resultou na crise econômica de 2008 e afetou o mundo inteiro. Basicamente, eles viram uma oportunidade para ganharem MUITO dinheiro enquanto milhões ficavam desempregados e perdiam suas residências. Antes de mais nada, é fundamental reforçar a culpa dos bancos nessa história toda, pois eles permitiam que pessoas sem recursos adquirissem casas à crédito…Enfim, é necessário assistir para entender. Utilizando diversos recursos narrativos (como Margot Robbie em uma banheira de espuma explicando swaps e subprimes), o filme faz um bom trabalho explicando o fenômeno. Entretanto, como McKay deixou de lado a narrativa clássica e baseou a história em um ritmo alucinante, é normal algumas (consideráveis) partes passarem incompreendidas.

A obra é uma forte concorrente na batalha pelo Oscar, marcando presença em cinco categorias: Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Edição. Mesmo com apenas Christian Bale sendo indicado à estatueta, o elenco de peso é dividido como se todos fossem protagonistas: Ryan Gosling deixa de lado seu lado galã para encarnar um almofadinha convencido e irônico, Brad Pitt tornou Ben Rickert, o oposto de Darth Vader (um ex-vilão que vira “do bem”), Steve Carell dá vida a uma histérica bomba relógio como Mark Baum e, por fim, Christian Bale conquista como um esquisitão viciado em heavy metal, desequilibrado e antissocial.

Alinhado com as personagens excêntricas, o cenário caótico e o dinamismo da narrativa, McKay usa e abusa de cultura pop mixando celebridades, humor e vídeos do YouTube em cenas de curta duração para ajudar a explicar a história. Outro recurso muito empregado é os atores conversando diretamente com a câmera (e com o público), gerando uma aproximação ainda maior do espectador, tudo para envolvê-lo em o que poderia ser uma aula demasiadamente chata – mas acaba provando que qualquer um pode falar sobre finanças.

Como o final da história é conhecido por todos que já tinham consciência em 2008 (além de os jornais nos relembrarem o efeito da crise diariamente), não espere grandes novidades. A reviravolta reside no julgamento de valor de cada espectador – o resultado da aposta é feliz? Cabe a você julgar.

A Grande ApostaA Grande Aposta (The Big Short)

Ano: 2016

Direção: Adam McKay

Roteiro: Charles Randolph e Adam McKay, baseado no livro de Michael Lewis

Elenco principal: Ryan Gosling, Christian Bale, Steve Carrel, Brad Pitt, Melissa Leo, Marisa Tomei.

Gênero: Biografia, Drama, Comédia

Nacionalidade: EUA

Veja o trailer:

Galeria de Fotos:

Por Lívia Fioretti Você fala economês? Nem eu. Na verdade, eu conheço muitas poucas pessoas que conseguem finanças com confiança – aquelas que usam todos os termos complexos e estranhos que dão frio na espinha só de ouvir, sabe? Entretanto, é fundamental entender a quantas anda a economia mundial (não apenas para não fazer feio na conversa com o chefe, mas principalmente para ter uma opinião fundamentada sobre o assunto). Entendendo isso, o diretor Adam McKay acertou em cheio criando um filme que traduza o vocabulário de Wall Street para o público geral. A Grande Aposta conta como um grupo…

Avaliação geral

Avaliação Geral

4

Sobre Lívia

Publicitária paulistana que largou tudo e está tentando escrever o roteiro da sua vida em Barcelona
Comentários