Home / Críticas / Na Estrada
Cinemascope - Na estrada

Na Estrada

Por Aline Fernanda e Joyce Pais

Produzido por Francis Ford Copolla, Na estrada (On the road), adaptação do livro de Jack Kerouac publicado em 1957, antes de ter Walter Salles (Central do Brasil; 1998) no comando da história ícone da geração beat, foi recusado por Godard e Gus Van Sant. O projeto, que concorreu à Palma de Ouro em Cannes deste ano, levou oito anos para ser concluído. Para se aproximar ao máximo do universo que viria a ser sua matéria prima, o diretor brasileiro investiu na busca pelas sensações vividas à flor da pele por Kerouac. Para isso, pôs o ‘pé na estrada’ e entrou em contato com os personagens ainda vivos e com pessoas influenciadas pelo movimento beat; o resultado final foi um documentário, que serviu de base para compor sua visão do que seria o processo de construção do longa.

Sal Paradise (Sam Riley) é um escritor que mora com sua mãe em Nova York, após a morte de seu pai conhece um andarilho de Denver, Dean Moriarty (Garrett Hedlund), que lhe apresenta um novo estilo de vida, onde liberdade, sexo, drogas e a estrada andam juntos. Logo se tornam amigos e se juntam com Marylou (Kristen Stewart), ex-mulher e atual amante de Dean, para uma viagem ao interior dos EUA, na qual a troca de experiência é o combustível para suas histórias, em constante processo de construção.

O minucioso trabalho de pesquisa feito por Salles fica evidente em cada frame – locações escolhidas a dedo, a recriação dos cenários, o figurino da época – Na estrada é um trabalho pautado nos detalhes e, por isso, seu resultado final é impecável. O espectador, que facilmente pega carona nessa viagem, é levado pelo excelente trabalho do diretor de fotografia francês Éric Gautier (Diários de Motocicleta; 2004). Cada cidade e estado norte americano e suas particularidades são captadas por sua lente que expõe, sem pudor, texturas, gostos, cheiros e desejos.

Através de saltos temporais, bem amarrados por edição e montagem eficazes, o longa, ao mesmo tempo em que aponta para um futuro ainda a ser descoberto, é um reflexo do presente. Em duas passagens do filme, os protagonistas, após cometer um pequeno furto em uma mercearia, dizem: “como Trumam disse, temos que baixar o custo de vida”, fazendo menção a uma política conservadora, naturalmente incompatível aos impulsos de uma geração que ao ritmo pulsante do jazz vivia segundo suas próprias regras.

A relação de Dean e Sal é marcada por sentimentos que extrapolam a amizade. Quase como uma obsessão, suas vidas estão sempre interligadas. Tal relação pode ser ilustrada pela cena em que Dean e Marylou dividem a cama com Sal e a tensão sexual presente alí. Garrett Hedlund chegou a dizer que não se preocupa com sua imagem (respondendo a pergunta relacionada as cenas homoeróticas), pois isso não o levaria a lugar algum. Afirmou ainda “estar disposto a experimentar, como aqueles personagens experimentaram”, na história real.

Quando se fala da adaptação cinematográfica de um clássico da literatura, a tarefa de escalar um bom elenco se torna mais difícil, sobretudo quando se busca equilibrar nessa escolha, nomes de peso como Viggo Mortensen (Um Método Perigoso) e Kirsten Dunst (Melancolia), uma estrela, Kristen Stewart (Branca de Neve e o Caçador) e atores menos badalados como Sam Riley (Control) e Garrett Hedlund (Tron).

Stewart foi uma boa supresa no filme, ela conseguiu se afastar da imagem que a acompanha desde que estrelou o primeiro filme da saga adolescente Crepúsculo para se tornar Marylou, uma mulher à frente de seu tempo, que vive livre de qualquer amarra um amor patológico por Dean. “Fiquei distante de qualquer sentimento de vergonha. Não que eu seja muito liberal, mas gosto de projetos que me façam quebrar os limites. Em Na Estrada, tudo que queria era perder o controle. E perdi.”, disse, em entrevista à Folha de São Paulo.

E foi a entrega dos envolvidos no projeto, que possibilitou, como resultado final, um trabalho que sugere a sensação de liberdade e de imersão em um horizonte em aberto, cheio de possiblidades e prazeiroso de se ver e imaginar. Tal como o que Kerouac idealizou.

 

Cinemascope---Na-Estrada-PosterNa Estrada (On The Road)

Ano: 2011

Diretor: Walter Salles.

Roteiro: Jose Rivera.

Elenco Principal: Kristen Stewart, Sam Riley, Garrett Hedlund, Kirsten Dunst.

Gênero: Aventura.

Nacionalidade: Brasil/França

 

 

 

Veja o trailer:

[youtube]L6MFUiSW1mI[/youtube]

Galeria de Fotos:

Por Aline Fernanda e Joyce Pais Produzido por Francis Ford Copolla, Na estrada (On the road), adaptação do livro de Jack Kerouac publicado em 1957, antes de ter Walter Salles (Central do Brasil; 1998) no comando da história ícone da geração beat, foi recusado por Godard e Gus Van Sant. O projeto, que concorreu à Palma de Ouro em Cannes deste ano, levou oito anos para ser concluído. Para se aproximar ao máximo do universo que viria a ser sua matéria prima, o diretor brasileiro investiu na busca pelas sensações vividas à flor da pele por Kerouac. Para isso, pôs…

Avaliação geral

Avaliação geral

4

Sobre Joyce

Fundadora e editora do Cinemascope, jornalista, paulistana, fotógrafa, apaixonada por David Lynch, Pedro Almodóvar, Marilyn Monroe e café.
Comentários