Autor: Adara Araújo

Sobre

Adara Araújo

Professora e cinéfila, amante do cinema russo, Steven Spielberg, comédias românticas e Jane Austen.

There Will Be No Leave Today

A consciencia humana depende do tempo para existir. – Andrei Tarkovsky There Will Be No Leave Today é, sem sombra de dúvidas, o menos Tarkovisky de todos os filmes que ele dirigiu. Também co-dirigido com seu amigo Aleksandr Gordon, o longa foi feito ainda no Instituto Gerasimov de Cinematografia (VGIK). A trama é simples: num pequeno vilarejo, durante uma ação de recapeamento de rua, são descobertas bombas soterradas da Segunda Guerra Mundial e o exército precisa esvaziar a cidade para fazer a retirada das bombas.  A ideia do Instituto era testar se Tarkovisky e Gordon  conseguiriam fazer um filme de fácil...

Ler Mais

Druk – Mais Uma Rodada

Abrindo o Festival do Rio Online em parceria com o Telecine está o filme que ganhou o BAFTA de Melhor Filme em Língua Não Inglesa, o prêmio de Melhor Filme no European Awards e o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 2020, Druk – Mais Uma Rodada. A última empreitada do cineasta Thomas Vinterberg foge de tudo que o tornou conhecido com o filme Festa de Família (1999), que marcou o início do movimento Dogma 95, o manifesto escrito pelo próprio Thomas em conjunto com Lars Von Trier sobre, que, num resumo grosseiro, fala sobre uma forma mais autêntica...

Ler Mais

Andrei Tarkovsky: Uma Introdução

A imagem cinematográfica é, por natureza, a observação de fenômenos que se desenrolam no tempo. – Andrei Tarkovsky Eu sempre fui fascinada pelo cinema russo.  Não sei dizer exatamente porque ou quando isso começou, mas sempre me senti atraída pela estética, pelo país, pela cultura. Mas, crescendo nos anos 1990, numa cidade do interior de São Paulo, o acesso a esses filmes era quase inexistente. Aos poucos fui descobrindo nomes, filmes, vertentes do cinema que vinham da antiga união soviética e foi aí que me deparei com Andrei Tarkovsky pela primeira vez. Filmes complexos, que não eram para qualquer...

Ler Mais

Os Assassinos

Se tornar um artista não quer dizer simplesmente aprender alguma coisa, adquirindo técnicas e métodos profissionais. Como alguém já disse, para escrever bem é preciso esquecer a gramática. – Andrei Tarkovsky   A primeira vez que os letreiros sobem com o nome de Andrei Tarkovsky na direção é em um filme da faculdade.  Os Assassinos foi co-dirigido com outros dois colegas de turma, Marika Beiku e Aleksandr Gordon, e é baseado em uma história de Ernest Hemingway.  Por se tratar de um curta feito ainda na faculdade, é possível compreender alguns deslizes – mas nem todos. O conto de...

Ler Mais