Autor: Thaís Lourenço

Sobre

Thaís Lourenço

Historiadora e capricorniana. Ama filme francês, os efeitos de Méliès, o pioneirismo feminino, as cores de Almodóvar, as viagens de Miyazaki e a imaginação surrealista.

19º edição do Festival Varilux de Cinema Francês chega ao Brasil

Salut a tous! Ça va? Este texto não será no idioma do amor, mas essa notícia é e tem até cheiro de croissant. O Festival Varilux de Cinema Francês chega novamente ao Brasil para acalentar nossos corações sedentos pela língua francesa no cinema. Em 2019, o festival chega ao seu 19º ano de vida e alcança um milhão de espectadores, espalhados por todo o país. Saltou, em 2010, de nove para 88 cidades em 2018, com exibições em 118 salas. Não é segredo que a indústria cinematográfica francesa tem uma força enorme e um investimento de nos dar inveja, por...

Ler Mais

Antropofagia Brasileira – das telas de Tarsila ao Cinema Novo

O Movimento Antropofágico influenciou desde os modernistas de 1922 até os cinema-novistas de 1960. A partir de observações derivadas da exposição Tarsila Popular, traçamos aqui um paralelo entre duas épocas de efervescência cultural.    Só a Antropofagia nos une. Socialmente. Economicamente. Filosoficamente. Única lei do mundo. Expressão mascarada de todos os individualismos, de todos os coletivismos. De todas as religiões. De todos os tratados de paz. Tupi, or not tupi that is the question.”  – Manifesto Antropófago, Oswald de Andrade. Publicado originalmente em 1928. Com esta frase, Oswald de Andrade abria o Manifesto Antropófago e, com ele, inaugurou um dos movimentos...

Ler Mais

Cinemateca de São Paulo comemora 90 anos de Audrey Hepburn com retrospectiva

Algumas cenas do cinema são tão icônicas que se eternizam e ultrapassam os limites da tela, mas poucas pessoas foram capazes do feito de Audrey Hepburn. Fenômeno e ícone não só do cinema, mas da moda, Audrey viveu papéis inesquecíveis no cinema, tanto que a famosa Tiffany & Co, pano de fundo do famoso Bonequinha de Luxo (Breakfast at Tiffany’s) inaugurou em 2017 o próprio café em homenagem ao filme. Este filme transformou, além de viver e eternizar a prostituta Holly Golightly, rendeu à Audrey a amizade com o estilista Hubert de Givenchy, transformando-a em ícone fashion da época....

Ler Mais

Bao

Bao é um pãozinho de origem chinesa, de fermentação lenta, gosto adocicado, cozido em vapor e extremamente delicado, mas também é o nome escolhido para o novo curta da Pixar. Desta vez, o estúdio entra na corrida pelo Oscar contando a jornada e conflitos de uma mãe com o seu “Bao”. Recheado de metáforas – e isso não foi um trocadilho intencional – o curta desenha com delicadeza a relação familiar entre esses personagens, começando pelo momento em que a mãe modela e cozinha os pãezinhos, e aí tudo o que remete ao termo do pãozinho no forno para...

Ler Mais