Autor: Cleiton Lopes

Sobre

Cleiton Lopes

Formado em Cinema e Audiovisual, segue a vida escrevendo críticas de cinema, colecionando discos de vinil e, vez ou outra, algumas crônicas. Sonha conhecer David Fincher pessoalmente e completar sua coleção de Belchior

Os 10 melhores filmes de 2020

*Com a colaboração de Cleiton Lopes Chegamos ao final do ano que pareceu uma grande mistura de distopia. E que distopia! 2020 não foi fácil para ninguém, mas se teve uma indústria que precisou se virar para não perder o ano foi a indústria cinematográfica. Foram festivais cancelados, transformados, regras modificadas, estreias adiadas e o grande ano dos serviços de streaming. Aliás, é em parte graças a eles que essa lista pode existir. Sem as plataformas de streaming, dificilmente teríamos estreias em 2020 para comentar e, apesar de ter sido em número reduzido e por meio de uma experiência...

Ler Mais

[Especial Terror Slasher]: Pânico – O terror slasher pós-moderno

Depois de duas décadas do lançamento de O Massacre da Serra Elétrica (1974), inúmeras produções slasher e continuações de  Halloween – A Noite do Terror (1978), Sexta-Feira 13 (1980) e A Hora do Pesadelo (1984), na década de 1990 o gênero parecia ter se desgastado. Ao observar essa limitação de não saber o que inventar, o diretor e roteirista Wes Craven, criador de Freddy Krueger, resolveu parodiar seu próprio universo em Pânico (1996). A produção também tendo um acontecimento real como referência, assim como outras produções do gênero, foi sucesso de público e crítica. Não só Craven, mas outros nomes do...

Ler Mais

Coletivo Nicho 54 e a participação de negros no audiovisual brasileiro

A presença e o acesso de minorias e moradores de periferias à saúde, educação e cultura são questões que (ainda bem) estão cada vez mais em pauta atualmente. O interessante é que muitos desses movimentos vêm de dentro dos próprios grupos. Um deles é o coletivo Nicho 54 que incentiva a participação de pessoas negras no mercado audiovisual brasileiro. Em 2016 a ANCINE (Agência Nacional do Cinema) levantou diversos fatores relacionados ao audiovisual como bilheteria, profissionais de minorias e etc. Entre os 1326 profissionais da pesquisa, apenas 5,3% eram negros. Isso contrasta com o dado que 54% da população...

Ler Mais

[Especial Terror Slasher]: A Hora do Pesadelo – O slasher se torna sobrenatural

Depois que Jason Voorhees ganhou o imaginário popular com Sexta-Feira 13 (1980) e tornou o terror slasher pop, outra figura iria disputar popularidade com ele: Freddy Krueger em A Hora do Pesadelo (1984). A criatura que mata adolescentes através dos sonhos, foi a criação mais bem sucedida do diretor Wes Craven que tirou inspiração dos seus próprios pesadelos e medos de infância e levou o subgênero de vez para o lado sobrenatural. Os slashers mais populares até então tinham um pé mais firme na realidade. Os “poderes” que Michael Myers e Jason tinham eram uma força sobre-humana e a...

Ler Mais

La La Land: um musical pós-moderno

Os musicais marcaram a história do cinema com grandes produções como O Mágico de Oz (1939), Cantando na Chuva (1952) e A Noviça Rebelde (1965). Juntando diversas referências à esses filmes, La La Land: Cantando Estações(2016), contou uma história com um pé na realidade e outro na fantasia e quase ganhou o Oscar de melhor filme em 2017.  O musical, disponível no streaming do Telecine, é o terceiro longa do jovem diretor Damien Chazelle, que ganhou destaque mundial e indicações ao Oscar, em Whiplash: Em Busca da Perfeição(2014). La La Land: Cantando Estações foi escrito e dirigido por Chazelle...

Ler Mais