O Cinemascope, em parceria com o Mulher no Cinema, realiza a partir de julho um ciclo de exibições e debates com foco no cinema feito por diretoras latino-americanas.

Tendo como base filmes de diferentes gêneros e países, as jornalistas Joyce Pais e Luísa Pécora abordarão produções variadas e analisarão, entre outros pontos, o lugar da mulher nas diferentes sociedades da América Latina.

Os encontros são gratuitos e acontecem sempre aos sábados, no anexo da Casa Guilherme de Almeida (Rua Cardoso de Almeida, 1943, Pacaembu – SP). A exibição dos filmes começa às 14h e logo após acontece um debate. As inscrições podem ser feitas aqui.

Diretoras Latino-Americanas na tela

A primeira sessão acontece no dia 20 de julho. Na ocasião, será exibido o filme Jovem Aloucada (2012), primeiro longa da diretora chilena Marialy Rivas. A trama acompanha a vida de Daniela, uma adolescente de família evangélica que não consegue refrear seus impulsos sexuais e recorre à internet para dividir suas experiências.

No dia 17 de agosto, o filme da vez será o brasileiro Que Bom Te Ver Viva  (1989), da diretora Lúcia Murat. O docudrama traz à tona depoimentos de mulheres que foram vítimas de violações físicas e psicológicas durante a ditadura militar.

Já em 28 de setembro, será exibido o longa venezuelano Pelo Malo (2013), de Mariana Rondón. O título é focado na história de Junior, um garoto que sonha em alisar o cabelo para se tornar um cantor de sucesso e sair bonito na foto do colégio. Contudo, o resultado mais imediato é uma pequena revolução dentro do ambiente familiar.

Em 26 de outubro  é a vez de visitar O Pântano (2001), filme da argentina Lucrécia Martel. O longa-metragem colocou a diretora no mapa do cinema mundial e é ambientado em sua cidade natal, Salta. A trama mostra o cotidiano de duas mulheres e suas famílias durante as férias de verão. O resultado é um belo e impactante retrato da decadência da classe média argentina.

No mês de novembro Joyce e Luísa debaterão sobre Paz Encina (2006), filme de Hamaca Paraguaya. Primeiro longa-metragem paraguaio desde 1978, a história retrata a espera de um casal de idosos pelo filho que foi lutar na guerra do Chaco (1932-1935). O título foi exibido na mostra Um Certo Olhar no Festival de Cannes de 2006.

Encerrando a primeira temporada do ciclo, em dezembro será exibido A Teta Assustada (2009). O longa da peruana Claudia Lhosa foi o primeiro a ganhar o Urso de Ouro e a ser indicado ao Oscar de Melhor Filme Internacional no Oscar. A narrativa mostra a ação do grupo Sendero Luminoso nos anos 1980 e os traumas que acompanham as vítimas de abuso sexual. O título do filme diz respeito ao medo crônico que, segundo a crença local, é transmitido pela amamentação por mulheres estupradas durante a gravidez ou pouco depois do parto.

Faça sua inscrição e participe com a gente desse ciclo de aprendizado sobre diretoras latino-americanas!

Navegue por nossos conteúdos

CONECTE-SE COM O CINEMASCOPE

Gostou desse conteúdo? Compartilhe com seus amigos que amam cinema! Aproveite e siga-nos no Facebook, Instagram, YouTube, Twitter e Spotify.